CirculaDança: entre tempos e espaços

Uma simultaneidade de diferentes tempos e movimentos tem disseminado a dança em várias cidades e regiões cearenses. Do maracatu e reisado à criação de novas companhias de dança com foco contemporâneo, os artistas são diversos. Da tradição à contemporaneidade, linhas que se cruzam. Atenta a essas reverberações e demandas, a Bienal Internacional de Dança do Ceará/De Par Em Par vem propor uma série de ações de fomento à circulação de espetáculos, residências artísticas, debates, oficinas e intercâmbios culturais. Trata-se do CirculaDança, que este ano ganha uma abrangência maior ao envolver nove cidades na programação da Bienal De Par Em Par.

Vale do Curu, Sertão Central, Cariri, Fortaleza, em seus diversos bairros. Espaços de produção e de acolhimento da dança. Na última década companhias estão afirmando sua existência artística nos mais inusitados lugares, disseminando a dança e instigando a criação. Itapipoca, Trairi, Paracuru, Juazeiro do Norte, Crato, Nova Olinda, Sobral, Tabuleiro do Norte, Guaiúba, Limoeiro do Norte, entre outras, já mantêm grupos que vêm se consolidando e atravessando gerações. Trabalhos que demandam visibilidade, intercâmbio artístico e tratamento técnico de qualidade.

Em seus diferentes perfis, a Bienal de Dança vem apoiar a circulação de companhias cearenses pelo Ceará, bem como em instituições e centros culturais e projetos sociais, envolvendo residências artísticas e encontros com o público, estimulando a formação dos artistas e de platéia. Prevê, ainda, a realização de residências artísticas com coreógrafos nacionais e internacionais convidados, nas cidades em que a Bienal localiza maior demanda na área da dança. O objetivo é realizar uma ação mais continuada e sistemática de formação.

Com esse pensamento, a Bienal de Dança propõe como recorte curatorial em 2010 a realização de residências com Lia Rodrigues (RJ), Maura Baiocchi (SP), Yann Marussich (Suíça), Flávio Sampaio (CE) e Gerson Moreno (CE), com atividades em torno de cinco dias, aprofundando formações e gerando produções a serem apresentadas dentro da programação do festival, levando assinaturas de reconhecidos artistas que, de outra forma, dificilmente chegariam ao Ceará.

Assim, a Bienal vem cumprindo um papel importante na política de circulação e formação em dança, contribuindo, além da profissionalização, com a ampliação de platéia ao realizar uma mostra de espetáculos em cada cidade por onde passa, sensibilizando artistas, público e gestores para a existência de outros modos de apresentação de suas obras populares e contemporâneas, intercaladas a trabalhos nacionais e internacionais.

  CIRCULADANÇA

Um programa da Bienal De Par Em Par, de circulação de espetáculos, residências e oficinas pelas diversas cidades do Ceará. Nesta edição contamos com as presenças da Lia Rodrigues Cia. de Danças (RJ), Maura Baiocchi e Taanteatro Companhia (SP), além dos cearenses Alysson Amancio Cia. de Dança, Cia. Vidança, Paracuru Cia. de Dança, Silvia Moura, Cia. Dos Pés Grandes, Balé Baião Jovem, Cia Arreios, Cia de Dança Ciclos, entre outros.

ler mais

 Terceira Margem

A 2ª edição do Encontro Terceira Margem traz a participação de 52 trabalhos de várias partes do País, selecionados a partir da Convocatória 2010, além de companhias, artistas e coletivos locais, nacionais e internacionais convidados pela curadoria do festival. A programação inclui espetáculos, proposições, variações, performances e intervenções urbanas, mostra de vídeos, imagens projetadas e ocupações temporárias de espaços.

ler mais