Anamaria Fernandes e Benoît le Bouteiller

Autismo e autoralidade: encontros e criações

Através do filme Um passo de lado, propomos uma discussão da arte como espaço de autoralidade, que articula criação e autopoieses, na busca por uma abordagem do autismo que considere as invenções do sujeito como elemento fundamental do encontro e de intervenção na perspectiva do laço social.

Benoît Le Bouteiller depois de trabalhar como monitor-educador e educador especializado na área da deficiência, doença e vulnerabilidade, trabalhou, entre 2002 e 2014, como diretor de estabelecimentos médico-sociais em diversas estruturas francesas. Como professor, trabalhou em vários institutos de formação no campo socio-medical. Participou igualmente da criação e do acompanhamento de formações profissionais na área da saúde mental. Desde 1998, participa de diferentes grupos clínicos e pesquisas de orientação psicanalítica. Atualmente, consagra suas pesquisas principalmente em torno de dois eixos: a articulação entre a clínica e o coletivo dentro da instituição e a relação entre a psicose e o ato de criação artística. Participa regularmente de seminários e congressos na França, Estados Unidos e recentemente no Brasil.

Anamaria Fernandes desenvolveu durante 18 anos um trabalho, a partir da improvisação, com pessoas em situação de doença ou deficiência intelectual (leve, média ou severa), na França. Sobre esse trabalho co-realizou três documentários e um videodança. Criou, também, um duo de dança contato improvisação (10 mn avec Jean-Jacques), com um dos seus antigos alunos. Defendeu uma monografia na França baseada na sua experiência pessoal, no qual defendeu a legitimidade do estatuto do artista qualificado como sendo inválido e uma tese de doutorado, baseada na sua experiência de dança com pessoas autistas. Atualmente, professora do Curso de Licenciatura em Dança, DFTC/ Escola de Belas Artes da UFMG.

18/10 | 19h30 | Auditório CDMAC - Fortaleza

CADASTRE-SE

Oops! Something went wrong while submitting the form